Última hora
This content is not available in your region

Crise grega no centro das atenções em Davos

Crise grega no centro das atenções em Davos
Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia recomenda uma redução dos salários da função pública na Grécia. Esta é uma das medidas que Atenas deve adoptar no programa de saneamento das contas públicas.

Os problemas orçamentais da Grécia estiveram no centro das atenções no Fórum Económico Mundial, explica o enviado especial da Euronews. “Em Davos, alguns economistas avisaram que a dívida pública de países como a Grécia é uma bomba-relógio que pode destruir o euro. A bomba não vai rebentar se forem cumpridas duas condições: mais solidariedade na zona euro e mais austeridade para os países afectados.”

O receio de que o governo grego seja incapaz de reduzir a despesa continua a influenciar os mercados e a enfraquecer a moeda única, o que alimentou especulações de uma saída do país da zona euro.

O comissário europeu dos Assuntos Económicos descartou, no entanto, essa hipótese. “Até há poucos dias, diziam que o euro estava demasiado forte, sobrevalorizado pelos mercados. E agora, de repente, há gente que diz que a zona euro vai dividir-se. Não é o caso. A zona euro está a permitir que todas as economias do euro enfrentem melhor a crise, com mais recursos, mais apoio e mais responsabilidade. Em troca, devem adoptar medidas necessárias para ajustar os desequilíbrios provocados pela crise.”

A Grécia fechou as contas, no ano passado, com um défice de mais de 12% e uma dívida pública na casa dos 130% do PIB. O primeiro-ministro comprometeu-se a baixar o défice para 8.7% este ano e espera atingir a meta dos 3% em 2012.