Última hora

Última hora

Novas ameaças de Ahmadinejad recebidas com cepticismo por Washington

Em leitura:

Novas ameaças de Ahmadinejad recebidas com cepticismo por Washington

Novas ameaças de Ahmadinejad recebidas com cepticismo por Washington
Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos relativizaram as mais recentes declarações do presidente iraniano sobre o programa nuclear do país.

Ontem, durante o aniversário da revolução islâmica, Mahmoud Ahmadinejad afirmou que Teerão está em condições de produzir urânio enriquecido até 80%, próximo do nível requerido para fabricar uma bomba atómica.

Um discurso que Washington considerou ser, “mais político do que científico”.

Para o porta-voz da Casa Branca, “Ahmadinejad diz muitas coisas, a maioria das quais são falsas. Não acreditamos que tenha capacidade de enriquecer urânio ao nível que afirmou poder fazê-lo”.

Num momento em que prosseguem as discussões na ONU para reforçar as sanções contra Teerão, apenas a União Europeia exprimiu ontem a solidariedade com as contra-manifestações organizadas pela oposição iraniana.

O filho do Xá, deposto pela revolução islâmica há 31 anos, considera que, “as cenas de repressão provam que o regime está a tentar fortalecer a sua posição, e mostram que está tão desesperado que é levado a recorrer a um grau de violência cada vez maior para intimidar a população”.

Os protestos, proibidos pelo governo, que bloqueou parte das ligações por Internet, terminaram em confrontos com polícia e milícias.

Vários militantes foram detidos. Dois dos líderes da oposição foram atacados quando se manifestavam.

Mais de mil opositores ao regime encontram-se actualmente na prisão. Doze foram condenados à pena capital.