Última hora
This content is not available in your region

Suspeitos da morte do líder do Hamas na mira da Interpol

Suspeitos da morte do líder do Hamas na mira da Interpol
Tamanho do texto Aa Aa

A Interpol lançou um mandado de captura contra os 11 suspeitos do assassinato do dirigente do Hamas. No sítio da organização na internet é possível encontrar fotografias e descrições dos presumíveis criminosos.

A informação surge no mesmo dia em que o chefe da polícia do Dubai afirmou ter quase cem por cento de certeza que a Mossad é a responsável por esta morte.

Também esta quinta-feira os governos de Londres e Dublin mostraram-se preocupados com a utilização abusiva de passaportes de cidadãos dos seus países e chamaram os embaixadores de Israel das duas capitais, para os interrogarem.

O embaixador em Londres não fala sobre o que aconteceu na reunião, mas Gordon Brown já mandou abrir um processo de averiguação. Tudo porque o comando por trás do assassínio terá usado passaportes britânicos e irlandeses falsificados.

Para o ministro dos Negócios Estrangeiros irlandês, a utilização de passaportes falsos por parte dos suspeitos, é “um incidente extremamente sério”.

Em relação aos detentores dos passaportes, Micheál Martin, adianta que dois dos três cidadãos contactados viajam frequentemente, um deles fê-lo este fim-de-semana por isso pode ter sido preso por causa das informações que surgiram, vindas do Dubai.

Também o Hamas, que terá analisado os indícios de que a polícia do Dubai dispõe, acredita que o assassínio de Mahmoud Al-Mabhouh tem a assinatura da Mossad israelita.

Por seu lado Israel garante que não há provas do envolvimento dos seus serviços secretos na morte de um dos fundadores do movimento islamita palestiniano.