Última hora
This content is not available in your region

Trabalhadores da Total prosseguem greve por tempo indeterminado

Trabalhadores da Total prosseguem greve por tempo indeterminado
Tamanho do texto Aa Aa

Os trabalhadores da Total vão continuar a greve por um tempo indeterminado.
 
O movimento de protesto nacional nas seis refinarias do grupo francês começou na quarta-feira.
 
Os trabalhadores opõem-se ao encerramento da refinaria de Dunkerque, no norte do país.
 
Um líder sindical faz o ponto da situação.
 
“Nos últimos dois dias, as seis refinarias não forneceram nem sequer uma gota de petróleo às estações de serviço. Para mostrar a nossa determinação ao governo e ao grupo total decidimos ir até à fase final, ou seja, vamos interromper totalmente a produção”, adverte Charles Foulard da CGT.
 
Os sindicatos querem mobilizar todo o sector. A CGT convida os trabalhadores da Exxon Mobil a juntarem-se ao protesto.
 
Um automobilista afirma que “há pessoas que não estão contentes” mas diz que as greves em França são “uma doença” e que “os grevistas tomam as pessoas como reféns, o que  não tem o efeito desejado”.
 
A curto prazo, não deverá haver falta de combustível. Segundo a União Francesa das indústrias petrolíferas, o país tem reservas para um período de dez a vinte dias.