Última hora
This content is not available in your region

UE autoriza batata OGM da BASF

UE autoriza batata OGM da BASF
Tamanho do texto Aa Aa

Pela primeira vez em 12 anos a União Europeia autorizou o cultivo de um produto geneticamente modificado. Neste caso, trata-se de uma batata da BASF, grupo mundial do sector químico.

É uma decisão controversa por receio de efeitos nocivos para o meio ambiente e para a saúde.

A Áustria e a Itália anunciaram de imediato que não autorizam a plantação. A Alemanha, a Suécia, a Holanda e a República Checa estão disponíveis para avançar com o cultivo do tubérculo baptizado de Amflora.

A Comissão Europeia garante que o vegetal não é perigoso.

“Para nós é claro que perante os conhecimentos actuais, não existem riscos para a saúde humana no que diz respeito ao consumo e ao seu uso pela indústria”, disse um porta-voz.

O cultivo da batata terá como prioridades a alimentação animal e também o fabrico de papel. José Bové, deputado europeu, é contra a autorização. O sindicalista e agricultor francês explica porquê.

“Quando num ano criamos um campo de batatas, eventualmente, com esta variedade transgénica, e depois no ano seguinte plantamos outro tipo não podemos retirar todas as batatas da terra, logo haverá contaminações”, disse.

Os ecologistas argumentam também que a batata é resistente a antibióticos, facto que inquieta a Organização Mundial de Saúde.

Bruxelas escuda-se atrás da recomendação da agência alimentar europeia e garante que serão realizados todos os controlos necessários.