Última hora
This content is not available in your region

Gregos continuam na rua contra as novas medidas de austeridade

Gregos continuam na rua contra as novas medidas de austeridade
Tamanho do texto Aa Aa

Mais um dia de manifestações e greves na Grécia. Escolas, hospitais, administração e transportes públicos paralisam, assim como o tráfego aéreo e os próprios meios de comunicação social.

Aos funcionários públicos juntam-se os trabalhadores do setor privado. Manifestam contra as novas medidas de austeridade apresentadas quarta-feira e que se somam a um primeiro pacote anunciado em Janeiro.

“As medidas podem ser necessárias, mas o povo não aguenta muito mais”, reconhece um manifestante. Outro não acredita que a greve tenha algum efeito: “De qualquer forma, eles vão aprovar as medidas. É um esforço vão. É só para fazer barulho.”

“Eles” são os deputados gregos. O parlamento, onde o governo tem a maioria absoluta, vota hoje, em urgência, o novo pacote de medidas. Em causa, cortes nas horas extras e nos subsídios de férias e congelamento dos salários e reformas dos funcionários públicos.

O primeiro-ministro George Papandreou encontra-se hoje com Angela Merkel, em Berlim. Não vai pedir dinheiro, garante, mas apenas apoio ao plano, que visa economizar quatro mil e 800 milhões de euros, para salvar a economia grega.

Um plano que ontem levou dez mil pessoas à rua em Atenas e Salónica e provocou confrontos com a polícia.