Última hora
This content is not available in your region

Arménia está satisfeita com resolução sueca

Arménia está satisfeita com resolução sueca
Tamanho do texto Aa Aa

Em Yerevan, capital da Arménia, as notícias sobre a resolução aprovada pelo parlamento sueco são bem acolhidas.

O secretário de estado para os negócios estrangeiros é uma das vozes do contentamento.

“O reconhecimento do “genocídio” perpretado pelo Império Otomano na primeira grande guerra, bem como o reconhecimento de crimes contra a humanidade é muito importante, não só para os arménios mas para a humanidade”, confessou Arman Kirakosyan.

Apesar da posição irredutível da Turquia, na Arménia insiste-se que o regime de Ancara deve mudar de atitude.

“Os americanos reconheceram a escravatura, os alemães o holocausto. Da mesma forma, o governo turco devia reconhecer as acções contra o povo da arménia, cometidas pelos antigos governantes, não pelos actuais”, revela o economista Arthur Aghazhayan.

Segundo a Arménia, o Império Otomano assassinou, entre 1915 e 1917, um milhão e meio de arménios.

Com números diferentes, a Turquia reconhece os massacres mas rejeita o termo “genocídio”.