Última hora

Última hora

Marcha popular sobre Banguecoque aquém das expectativas

Em leitura:

Marcha popular sobre Banguecoque aquém das expectativas

Marcha popular sobre Banguecoque aquém das expectativas
Tamanho do texto Aa Aa

Pela segunda noite consecutiva, dezenas de milhares de partidários do deposto primeiro-ministro tailandês Thaksin Shinawatra acamparam nas ruas de Banguecoque.

A chamada marcha “de um milhão de pessoas”, vestidas com camisas vermelhas, que se queria pacífica e que exige a demissão do actual Governo por “ser ilegítimo”, registou esta segunda-feira o primeiro grande acto de violência – desconhecidos atiraram granadas contra um quartel militar onde reside o chefe do exército. Dois soldados ficaram feridos.

A marcha sobre a capital apenas reuniu 100 mil do milhão desejado pela organização.

E o ultimato que os manifestantes deram para que o parlamento fosse dissolvido e eleições convocadas expirou na madrugada desta segunda-feira, hora portuguesa.

Horas antes, o actual chefe do Executivo apareceu na televisão, rodeado pelos parceiros da coligação e dos militares – numa prova de unidade – para dizer que não haverá dissolução alguma do hemiciclo.