Última hora

Última hora

Bruxelas que facilitar divórcios entre "casais internacionais"

Em leitura:

Bruxelas que facilitar divórcios entre "casais internacionais"

Bruxelas que facilitar divórcios entre "casais internacionais"
Tamanho do texto Aa Aa

Todos os anos, na União Europeia, há 350 mil casamentos binacionais. Quase a metade termina em divórcio, mergulhando os esposos num labirinto jurídico.

A Comissão Europeia deseja facilitar o percurso e vai apresentar uma proposta, que permitirá aos esposos escolherem o país cuja lei se vai aplicar ao divórcio, à decisão sobre a guarda dos filhos e à divisão do património. A decisão será depois reconhecida no outro país.

Todos os anos, há 140 mil casais binacionais que se divorciam, ou seja, 19% da totalidade de divórcios da União.

Esta é a primeira vez que Bruxelas vai recorrer à polémica cooperação reforçada, a pedido de dez países que desejam contornar anos de bloqueio sobre a matéria. Não se trata de harmonizar a legislação, mas de dar uma segurança jurídica ao casal.

Régine Hazee, advogada belga, explica: “Isto permitiria harmonizar as regras para saber qual é o direito que se aplica, seria também uma forma de resolver e facilitar questões de reconhecimento no espaço europeu, porque haverá uma base comum ao nível das decisões, cujo reconhecimento será feito num outro Estado membro”.

Para já a cooperação reforçada vai abranger dez países: Roménia, Hungria, Áustria, Espanha, Itália, Eslovénia, Luxemburgo, Grécia, Bulgária e França, mas nada impede a futura adesão de outros Estados membros.