Última hora

Última hora

Padre franciscano lança polémica na missa da Paixão de Cristo

Em leitura:

Padre franciscano lança polémica na missa da Paixão de Cristo

Padre franciscano lança polémica na missa da Paixão de Cristo
Tamanho do texto Aa Aa

Na Basílica de S. Pedro, durante a missa da Paixão de Cristo, o padre franciscano Raniero Cantalamessa
leu uma carta de um amigo judeu que escreve que as acusações contra o Papa e da Igreja lhe lembram “os aspectos mais vergonhosos do anti-semitismo”.

Em frente ao Papa, Cantalamessa leu um trecho da missiva que dizia que este judeu segue com desgosto o ataque violento e concêntrico contra a igreja, o Papa e os fieis de todo o mundo. “A utilização de estereótipos, a transferência de responsabilidades, a culpabilização pessoal do colectivo, lembram-me os aspectos mais vergonhosos do anti-semitismo”.

As palavras do sacerdote levantaram a polémica. As vítimas de abusos sexuais não compreendem a comparação. A comunidade judaica nos Estados Unidos também não.

Abraham Foxman, o director da Liga anti-difamação, diz que durante muitos anos a Sexta-feira Santa foi um dia de anti-semitismo inspirado pela Igreja. Por isso, acrescenta que é triste que este padre mostre ignorância em relação há história do anti-semitismo, e diz que isso é uma ofensa séria.

Esta é apenas mais uma das muitas controvérsias que têm abalado a Igreja Católica nos últimos meses.

Depois das acusações de abusos sexuais cometidos por padres em diversos países a imagem do Papa perante uma parte dos fiéis foi também beliscada.