Última hora

Faltam meios para conter maré negra no Golfo do México

Faltam meios para conter maré negra no Golfo do México
Tamanho do texto Aa Aa

Aumentam os receios, que a mancha de petróleo no Golfo do México possa chegar às praias de Miami ou à costa da Carolina do Norte.

De acordo com os especialistas tudo vai depender das correntes do mar. O tamanho do derrame triplicou desde dia 20 de Abril, altura em que se deu a explosão na plataforma da BP.

Milhares de pessoas estão envolvidas nas operações de limpeza, mas a falta de meios está a dificultar o trabalho das equipas.

“Vemos que as autoridades não têm meios suficientes para remover o petróleo porque todos os dias estão a ser derramados no mar 800.000 litros e as barreiras não são suficientes. Em alto mar não são eficazes e na costa apenas são úteis para proteger as áreas. Mas o petróleo tem que ser removido e vemos que há falta a meios” afirma o presidente da Ecoceane.

A empresa britânica está à procura de voluntários para ajudar nos trabalhos de limpeza e oferece aos interessados 1.200 euros por dia.

Uma nova operação para vedar os pontos de fuga foi, entretanto, posta em marcha e poderá estar concluída até ao final da semana. O objectivo é instalar as cúpulas de aço no fundo do mar sobre os locais da fuga.

A maré negra ameaça mais de seis centenas de espécies animais. As tartarugas marinhas e o pelicano-castanho são as primeiras vítimas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.