Última hora

Última hora

Reino Unido: "É meu dever contribuir para um governo sólido e estável" (Brown)

Em leitura:

Reino Unido: "É meu dever contribuir para um governo sólido e estável" (Brown)

Reino Unido: "É meu dever contribuir para um governo sólido e estável" (Brown)
Tamanho do texto Aa Aa

Sem maioria absoluta, “nenhum partido tem direito moral ao monopólio do poder”, defende David Miliband. O ministro britânico da Diplomacia defende que, se nenhum partido alcançar maioria absoluta, isso significa que os eleitores deram aos políticos “uma mandato para dialogarem uns com os outros” e, puderem, assim, formar um governo “sólido e estável”.
 
“É meu dever contribuir para a formação de um governo sólido e estável no meu país”, declarou, por seu lado, Gordon Brown, aquando da sua primeira declaração, na circunscrição de Kircaldy, an Escócia.
 
Declarações após vários outros ministros trabalhistas terem já evocado a possibilidade de uma coligação com o ‘libdem’, permitindo assim a Gordon Brown manter-se na chefia do governo, apesar da vitória dos conservadores nas eleições legislativas desta quinta-feira.
 
Um dos ministros a afirmá-lo foi Peter Mandelson. O número dois do governo, responsável pela pasta do Comércio e antigo comissário europeu diz não ver “em princípio, nenhum problema em tentar dar ao país um governo forte e estável.”
 
Os 255 assentos dos trabalhistas com os 61 dos liberais democratas dariam à coligação 316 dos 650 assentos da câmara dos comuns, mais do que os 305 creditados aos conservadores, embora menos do que a maioria absoluta de 326.
 
Caso a oposição não obtenha uma maioria absoluta, a constituição britânica, não escrita, dá ao primeiro-ministro cessante a possibilidade de se manter no cargo, conferindo-lhe assim prioridade nas negociações para formar uma coligação.
 
Dulce Dias