Última hora

Última hora

Mais de uma centena de mortos em dia mais sangrento do ano no Iraque

Em leitura:

Mais de uma centena de mortos em dia mais sangrento do ano no Iraque

Mais de uma centena de mortos em dia mais sangrento do ano no Iraque
Tamanho do texto Aa Aa

O Iraque viveu o dia mais sangrento do ano, com uma vaga de atentados que fez mais de 100 mortos em vários pontos do país.

O mais mortífero dos ataques ocorreu junto a uma fábrica de têxteis de Hilla, cidade de maioria xiita a 95 quilómetros a sul de Bagdade.

Dois carros conduzidos por bombistas suicidas explodiram quando os trabalhadores saíam da fábrica. Um terceiro veículo foi detonado quando polícias e ambulâncias chegavam ao local.

Na cidade portuária de Bassorá, no sul do país, três atentados também com viaturas armadilhadas visaram dois mercados bastante movimentados.

Os ataques desta segunda-feira, que fizeram também 350 feridos, acontecem três semanas depois da morte de dois líderes da Al-Qaida no Iraque, numa operação conjunta das forças norte-americanas e iraquianas.

A violência propagou-se à capital e a cidades como Fallujah e Mossul. Sessenta quilómetros a sul de Bagdade, em Suwayra, uma mesquita xiita foi alvo de um duplo atentado semelhante ao ocorrido em Hilla, com o objectivo de maximizar o número de vítimas.

Os Estados Unidos condenaram “a violência absurda” da vaga de atentados, a mais mortífera desde 8 de Dezembro do ano passado, quando perto de 130 pessoas perderam a vida em cinco atentados na capital iraquiana.