Última hora
This content is not available in your region

Arqueólogos de guerreiros de terracota ganham prémio Príncipe das Astúrias

Arqueólogos de guerreiros de terracota ganham prémio Príncipe das Astúrias
Tamanho do texto Aa Aa

O Prémio Príncipe das Astúrias para as Ciências Sociais deste ano foi atribuído à equipa de arqueólogos que descobriu mais 114 guerreiros de terracota, todos com cores vivas, que se juntam aos cerca de 8000 em Xian, na província chinesa de Shaanxi.

A equipa vai ser galardoada com 50 mil euros e uma reprodução de uma estatueta de Joan Miró, entregues pelo príncipe Felipe de Borbón, durante uma cerimónia em Outubro.

A equipa de arqueólogos liderada por Xu Wiihong levou a cabo escavações durante mais de um ano e ficou ficou surpresa por encontrar uma coloração rica nos novos guerreiros de terracota.

As fotos dos objectos recém-encontrados serão publicadas no final deste mês. Os guerreiros de barro, com alturas de entre 1,8 metro a 2 metros, têm cabelo preto; face verde, branca ou rosa; e olhos pretos ou castanhos.

O Exército de Terracota, do primeiro imperador da china, Qin Shihuang, terá sido criado no 221 antes de Cristo e foi descoberto em 1974.