Última hora
This content is not available in your region

Deputados europeus querem influenciar pacote de supervisão financeira

Deputados europeus querem influenciar pacote de supervisão financeira
Tamanho do texto Aa Aa

A crise financeira esteve no centro da sessão parlamentar esta semana em Estrasburgo. Os eurodeputados defendem um maior controlo das agências de “rating” e dos fundos de capital de risco e reforço da governação económica, ou seja, querem influenciar o “pacote de supervisão” que está a ser preparado.

Sylvie Goulard, eurodeputada liberal e membro da comissão ECON, defende: “É preciso evitar a caricatura. Há uma responsabilidade dos mercados. É preciso controlar os mercados. Mas há também uma responsabilidade dos Estados membros da zona euro que, simplesmente, não respeitaram o Tratado que diz que o euro é uma responsabilidade comum, uma escolha política que nos compromete e cujas consequências ainda não foram avaliadas na totalidade”.

Os eurodeputados querem que a crise sirva de lição e que os Vinte e Sete assumam as suas responsabilidade para que não se volte a repetir, como refere Syilvie Goulard: “A crise mostrou que os supervisores nacionais, quer os Bancos Centrais quer as autoridades independentes, não colaboraram. É preciso mais ambição. É, por isso, que a euro câmara adoptou uma posição na comissão económica e monetária que é muito mais ambiciosa do que a do Conselho Europeu. Queremos pôr o Conselho perante as suas responsabilidades e dizer-lhe: Face ao que vivemos em 2008 e 2009 e que vivemos ainda, acreditam que podemos continuar sem instrumentos europeus de supervisão financeira?”.

O pacote de medidas deverá ser votado em Julho.