Última hora
This content is not available in your region

Netanyahu diz que soldados agiram em legítima defesa

Netanyahu diz que soldados agiram em legítima defesa
Tamanho do texto Aa Aa

A intervenção militar contra a frota de ajuda humanitária à Faixa de Gaza colocou Israel sob pressão e críticas internacionais.

Face à necessidade de se justificar, o primeiro-ministro israelita diz que os soldados agiram em legítima defesa, mas lamenta a perda de vidas humanas.

As declarações foram feitas à margem de um encontro com o primeiro-ministro canadiano, em Ottawa. Netanyahu decidiu interromper a visita oficial ao Canadá e cancelar a viagem desta terça-feira a Washington.

“O que quisemos evitar foi a chegada a Gaza de ‘rockets’, mísseis, explosivos e material de guerra que poderia ser usado para atacar os nossos civis. Esta é uma política permanente e é aquela que guiou a nossa acção”, declarou Netanyahu. “Conseguimos fazê-lo de forma pacífica em cinco dos seis navios. No sexto – o maior e com centenas de pessoas a bordo – não houve cooperação pacífica. Os primeiros soldados que entraram no navio foram atacados deliberadamente com paus, agredidos e esfaqueados e até há registo de tiros. Os nossos soldados tiveram de se defender senão teriam sido mortos.”

O ataque ao cargueiro turco que integrava a frota complica as relações entre Israel e a Turquia. O primeiro-ministro turco classificou a intervenção militar como “terrorismo de Estado” e promete reagir.