Última hora
This content is not available in your region

Chefe de governo quirguize vaiada em Osh

Chefe de governo quirguize vaiada em Osh
Tamanho do texto Aa Aa

Tensão ao rubro no sul do Quirguistão, a poucos dias do referendo sobre o regime político do país.

A chefe do governo interino foi vaiada, perto de Osh por algumas centenas de pessoas que exigiam eleições presidenciais.

O estado de emergência continua em vigor, após os violentos confrontos entre quirquizes e uzbeques no início de Junho.

Os números oficiais apontam para 250 mortos mas o governo provisório admite que poderão ter morrido duas mil pessoas.

Rosa Otubayeva mantém a intenção de organizar um referendo no próximo Domingo.

O objectivo da consulta popular é converter o país numa república parlamentar e reduzir os poderes do presidente.

As legislativas foram antecipadas de Outubro para o início de Setembro. O governo interino considera que o actual impasse pode piorar a situação.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento na Europa (OCDE) desistiu de enviar observadores por questões de segurança.

O conflito obrigou cerca de 400 mil pessoas, sobretudo uzbeques, a abandonarem as casas. Muitos refugiados regressam agora a Osh e Jalalabad, as duas cidades mais afectadas pela violência.

O governo provsório acusa o ex-presidente de ter incitado confrontos interétnicos numa tentativa de regressar ao poder. Kurmanbek Bakiev foi deposto em Abril na sequência de um levantamento popular. Era acusado de corrupção e nepotismo.