Última hora
This content is not available in your region

Probição do véu integral em debate na Assembleia Nacional francesa

Probição do véu integral em debate na Assembleia Nacional francesa
Tamanho do texto Aa Aa

A proibição do uso do véu integral islâmico em espaços públicos chega esta terça-feira à Assembleia Nacional francesa.
 
Os deputados reúnem-se para debater o projecto-lei que quer banir a a burca e o niqab das ruas, mas ainda antes do pontapé de saída está confirmada a primeira abstenção.
 
O grupo parlamentar do PS anunciou que não vai participar na votação da proposta, fiel à tendência na sociedade.
 
Para a representante de uma associação feminista, a questão do voto é fundamental.
 
“Esperamos que todos os partidos progressistas do país, com representação na Assembleia e no Senado tomem esta decisão forte. De outra forma estarão a enviar uma mensagem catastrófica às mulheres e aos nossos bairros porque estão, simplesmente, a pactuar com os islamitas”, diz Sihem Habchi.
 
Para a Amnistia Internacional, o projecto-lei “viola os direitos da liberdade de expressão e de religião”. 
 
“Ao nível da Convenção Europeia dos Direitos do Homem, o que importa referir é que há uma semana atrás, aproximadamente, a Assembleia parlamentar dos 47 membros do Conselho da Europa pronunciaram-se de forma unânime contra a proibição do véu”, diz Patrick Delouvin.
 
A nova lei, proposta pelo presidente francês Nicolas Sarkozy (UMP), deverá ser votada no Senado, em Setembro.
 
Os infractores arriscam-se, entre outras coisas, a uma coima de 150 euros.
 
No início de Abril, uma mulher foi multada em 22 euros, na cidade de Nantes, por conduzir com véu. Uma prática que segundo a polícia reduzia o campo visual. Depois de apelar à justiça, a infractora aguarda agora por uma sentença prevista para 13 de Dezembro.