Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Símbolo da África do Sul vai reformar-se

Símbolo da África do Sul vai reformar-se
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Figura mítica da África do Sul, Desmond Tutu vai retira-se da vida pública.

O anúncio foi feito, esta quinta-feira, pelo ex-arcebispo anglicano que pretende dedicar mais tempo à família.

O prémio Nobel da Paz quer abrandar o ritmo a partir de Outubro, altura em que completa 79 anos.

Tutu diz que está na altura de beber chá com a esposa no final da tarde, de acompanhar os jogos de cricket, futebol e de ténis, bem como, de viajar e visitar os filhos e os netos.

O ex-arcebispo tornou-se célebre por usar o púlpito na luta contra o apartheid.

Foi o primeiro negro a ser nomeado decano da Catedral de Santa Maria, em Joanesburgo. Uma posição que lhe permitia ser ouvido. E, desde então, nunca mais parou.

Propôs a igualdade de direitos, um sistema de educação comum e a abolição das leis que limitavam a circulação dos negros.

A luta contra a segregação racial valeu-lhe em 1984 o Prémio Nobel da Paz.

Tutu presidiu à Comissão de Reconciliação e Verdade, destinada a promover a integração racial na África do Sul. Divulgou, depois, o relatório final da Comissão. Um documento que acusava as autoridades do regime racista e as organizações que lutavam contra o apartheid de violarem os direitos humanos.