Última hora

Última hora

Um americano em Hiroshima... 65 anos depois

Em leitura:

Um americano em Hiroshima... 65 anos depois

Um americano em Hiroshima... 65 anos depois
Tamanho do texto Aa Aa

Um minuto de silêncio, apenas quebrado pelo som do sino de bronze. 65 anos depois, milhares de pessoas reuniram-se no Memorial da Paz para recordar o lançamento da bomba atómica sobre Hiroshima.

Em clima de reconciliação, pela primeira vez, um embaixador norte-americano assistiu à cerimónia, reflectindo o apoio de Barack Obama ao desarmamento nuclear mundial.

Também pela primeira vez, um secretário-geral das Nações Unidas esteve na cerimónia. Ban Ki-moon defendeu que “o único caminho para um mundo mais seguro é um mundo livre de armas de destruição maciça”.

Foi a 6 de Agosto de 1945, exactamente às 8h15 locais, que um B-29 americano largou a primeira bomba atómica da História. Morreram 140 mil pessoas. Três dias depois, foi lançada a segunda sobre Nagasaki. Morreram 74 mil. As radiações não pararam de matar nos anos seguintes.

Os Estados Unidos nunca pediram desculpa. O Japão foi o único país vítima de ataques nucleares e é o símbolo da luta por um mundo sem armas de destruição maciça.