Última hora
This content is not available in your region

Marinha russa assinala décimo aniversário da tragédia do Kursk

Marinha russa assinala décimo aniversário da tragédia do Kursk
Tamanho do texto Aa Aa

Foi há dez anos que a Rússia perdeu o submarino nuclear que representava o orgulho nacional e com ele uma tripulação de 118 marinheiros.

Uma catástrofe que impressionou o mundo, pela sua dimensão e pela forma como foi gerida pelas autoridades de Moscovo.

Esta manhã, nas três principais cidades que sofreram terríveis perdas humanas – Murmansk, Kursk e Sebastopol – houve cerimónias em memória das vítimas.

O naufrágio do Kursk no Mar de Barents foi o golpe de misericória na prestigiada Frota do Norte. Uma década depois, a decadência da marinha russa é uma questão que ninguém escamoteia.

Nas cerimónias deste décimo aniversário participaram as famílias dos marinheiros falecidos e algumas altas patentes militares. As autoridades nacionais não se fizeram representar.

Entre os familiares e amigos continua a pairar a dúvida: teria sido possível salvá-los se Vladimir Putin, presidente na altura do drama, tivesse aceitado a ajuda dos submarinos estrangeiros?

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.