Última hora
This content is not available in your region

Sistemas de segurança não funcionavam no museu do Cairo

Sistemas de segurança não funcionavam no museu do Cairo
Tamanho do texto Aa Aa

A polícia egípcia não poderá contar com as imagens das câmaras de vigilância para descobrir quem roubou o quadro de Van Gogh do museu Mahmud Khalil, no Cairo. Uma fonte garante que os sistemas de vigilância e de alarme estavam avariados há muito tempo. O ministro da Cultura diz que funcionavam apenas sete das mais de 40 câmaras.

A obra “Coquelicots” ou “Vase aux fleurs” está estimado em mais de 50 milhões de dólares, 39 milhões de euros. Foi roubada ontem. Esta é a segunda vez. A primeira ocorreu em 1977. Foi encontrada dois anos depois algures no Koweit.

Um habitante do Cairo diz: “Esta é a segunda vez que o quadro de Van Gogh foi roubado do museu. O ministro da Cultura deveria ter mostrado mais precaução e os responsáveis deveriam ter mais cuidado e melhorar a segurança do museu”.

A polícia libertou, entretanto, dois italianos detidos horas depois do roubo. A segurança do aeroporto do Cairo é máxima. Os agentes revistam bagagens e passageiros, incluindo os da primeira classe e de voos privados.