Última hora
This content is not available in your region

ONU condena violação massiva na República do Congo

ONU condena violação massiva na República do Congo
Tamanho do texto Aa Aa

O Conselho de Segurança da ONU condenou a violação massiva de mais de 150 mulheres por rebeldes hutus das Forças Democráticas de Libertação do Ruanda (FDLR) e das milícias mai-mai.

Os ataques aconteceram entre 30 de Julho e 02 de Agosto em 13 aldeias da província de Kivu Norte.

A cerca de 30 quilómetros está a base da MONUSCO, a missão de estabilização das Nações Unidas no país, que acabou por não intervir.

O enviado especial das Nações Unidas para a República do Congo deslocou-se à base na aldeia de Kibua para se inteirar da situação. Roger Meece informou que a força da ONU tinha sido avisada da actividade rebelde na área há já algumas semanas, mas só no dia 12 é que receberam os primeiros alertas de violação por parte de organizações humanitárias.

Meece e uma equipa de investigação devem passar os próximos dias a recolher informações perante os pedidos de uma “investigação rápida, para que os autores sejam punidos pela justiça”.

Em comunicado, a Amnistia Internacional apelou à ONU e ao governo congolês para que encetem esforços para que vítimas, testemunhas e restantes membros das comunidades tenham acompanhamento médico e psicológico urgente.