Última hora
This content is not available in your region

Moldávia terá eleições antecipadas

Moldávia terá eleições antecipadas
Tamanho do texto Aa Aa

Um referendo inválido, na Moldávia, depois da ida às urnas de apenas 29,67% dos eleitores.
O país, um dos mais pobres da Europa, vê-se agora obrigado a dissolver o Parlamento e a organizar eleições antecipadas.

A consulta popular lançada pelo governo para pôr fim a uma interminável crise política no país saldou-se por uma grande abstenção, o que abre um novo período de incerteza para o país.
Na ida às urnas deveriam ter sido recolhidos, pelo menos, 33,33% dos votos.

No governo, a Aliança para a Integração Europeia que tirou os comunistas do poder no escrutínio de julho de 2009, convocou a consulta dada à incapacidade do Parlamento de escolher o presidente, desde já um ano, em razão do boicote comunista.

O executivo esperava obter nesta consulta o apoio adicional dos trabalhadores residentes no exterior.

A comissão eleitoral tinha aberto 78 novas mesas de votação em vários países europeus onde residem centenas de milhares de emigrantes moldávios, estratégia que não deu votos.