Última hora
This content is not available in your region

Irão adia sentença de Ashtiani

Irão adia sentença de Ashtiani
Tamanho do texto Aa Aa

Teerão vai poupar para já a vida de Sakineh Mohammadi Ashtiani.

As autoridades iranianas decidiram suspender a pena de morte por lapidação, alegando, que o caso da iraniana de 43 anos vai ser reexaminado.

Ashtiani foi condenada em 2006, por adultério e cumplicidade na morte do marido.

Esta quarta-feira, o Parlamento Europeu condenou por unanimidade a execução da iraniana. Muitos dos eurodeputados vestiram uma t-shirt branca onde se podia ler “salvem Sakineh.”

O caso gerou uma onda de manifestações em toda a Europa. A pressão internacional pode, no entanto, ter contribuído para uma mudança de estratégia por parte do regime.

Segundo uma fonte próxima do governo, Ashtiani vai voltar a ser julgada mas, desta vez, garante, o crime de adultério terá um peso menor. A acusação vai pôr ênfase na suposta cumplicidade na morte do marido.

Um crime que o Irão não deverá deixar impune tendo em conta, uma alegada, confissão segundo a defesa conseguida sob tortura.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.