Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Japão apela à calma enquanto China ameaça com retaliação

Japão apela à calma enquanto China ameaça com retaliação
Tamanho do texto Aa Aa

O Japão pediu à China para não atiçar as tensões geradas pela detenção do capitão de um barco de pesca chinês em águas disputadas pelos dois países.

O caso gerou uma vaga de contestação anti-nipónica e alimentou uma retórica agressiva nos media chineses. Pequim decidiu suspender os contactos de alto nível com Tóquio, depois de um tribunal nipónico ter prolongado por 10 dias a detenção do capitão.

Um especialista sobre o Japão da Universidade de Pequim explica que “não é um problema novo, mas é bastante mais sério que disputas anteriores. O futuro deste e de outros conflitos marítimos será cada vez mais sério”.

A traineira chinesa foi capturada depois de abalroar duas embarcações da guarda costeira japonesa junto às ilhas Senkaku, em japonês – Diaoyu em chinês -, numa área de mar reclamada pelos dois países.

A tripulação foi libertada, mas o capitão chinês continua detido. Pequim exige a libertação imediata e já convocou por seis vezes o embaixador japonês.

Depois de cortar contactos, a China ameaça agora com “fortes medidas de retaliação”.