Última hora
This content is not available in your region

Edison Peña denuncia negligência dos patrões das minas

Edison Peña denuncia negligência dos patrões das minas
Tamanho do texto Aa Aa

Nunca a expressão “lar doce lar” teve tanto sentido como hoje para Edison Peña. É o primeiro dos 33 mineiros a regressar a casa e admite que pensou que ia morrer. Agora só quer denunciar a falta de condições de trabalho nas minas.

“Falo para que este tipo de acidentes não volte a acontecer, nem no meu país, nem em outra parte do mundo. Por que é que estas coisas acontecem? Porque o patrão quer guardar o seu dinheiro. E depois o que acontece aos trabalhadores? O patrão diz-lhes para entrarem na mina, mesmo se eles lhe dizem que ela treme! Ele diz-lhes para irem na mesma! Não quero criar polémicas mas estou enervado. É por isso que vos falo. Porque é a minha batalha para que as coisas mudem, queremos melhorias”, declarou na primeira entrevista.

“Não quero agradecer com um discurso pobre, de glorificação das máquinas, dos norte-americanos ou dos canadianos. Aqui, o que nos salvou foram as orações de todas estas pessoas humildes que chegaram até mim.”

Edison Peña foi o décimo segundo mineiro a ser resgatado a 13 de Outubro. Para trás ficam mais de dois meses de prisão a 700 metros de profundidade.