Última hora
This content is not available in your region

Governo britânico anuncia cortes no sector da Defesa

Governo britânico anuncia cortes no sector da Defesa
Tamanho do texto Aa Aa

O Governo britânico classificou o ciberterrorismo e o terrorismo internacional como algumas das maiores ameaças para o país, antes de anunciar cortes orçamentais no sector da Defesa.

Acredita-se que a centralização em ameaças não convencionais ajudará a justificar a redução de encomendas de equipamento bélico.

O Governo vai anunciar cortes drásticos em todos os ministérios, para reduzir o défice orçamental.

“Herdámos um orçamento para o sector da Defesa em que se está a gastar demasiado dinheiro. Estamos empenhados em gastar dez milhões de libras por dia nos próximos dez anos. Por isso, mesmo que o orçamento para o sector da Defesa seja mantido constante, mesmo assim teríamos que efectuar importantes reduções. Apesar de tudo, ainda teremos o terceiro ou quarto maior orçamento para o sector da Defesa a nível mundial. Continuaremos a ser uma potência militar global”, diz William Hague, o novo ministro britânico dos Negócios Estrangeiros.

O Reino Unido planeia gastar 570 milhões de euros a combater ataques efectuados por outros países em sistemas informáticos que podem quebrar redes militares, financeiras ou de transporte.

Ataques químicos ou biológicos perpetrados por organizações como a Al-Qaida também estão no topo da lista de ameaças a contemplar.

A Defesa pode estar a beneficiar em comparação com outros ministérios onde os cortes são mais profundos, o que já levou muitos soldados britânicos estacionados no Afeganistão a queixarem-se da falta de equipamento adequado.