Última hora
This content is not available in your region

Rebeldes islamitas atacam parlamento da Chechénia

Rebeldes islamitas atacam parlamento da Chechénia
Tamanho do texto Aa Aa

Os rebeldes islamitas que atacaram esta manhã o parlamento da Chechénia, em Grozni, foram abatidos pelas forças de segurança.

No entanto, há a lamentar a morte de pelo menos quatro pessoas, três polícias e um civil, além de 17 feridos.

O Presidente checheno pró-Moscovo, Ramzán Kadirov, garantiu que todos os deputados estão vivos e em segurança.

Os analistas temem uma escalada de violência na região perante a revolta dos insurgentes.

“Começa a tornar-se tradição mostrar a Ramzan Kadyrov que ele não controla a situação na república e mais ainda que ele não consegue controlar a situação mesmo na capital, no coração da Chechénia, em Grozny”, diz Aleksei Malashenko.

A Chechénia é palco de guerra desde 1991, quando políticos locais decidiram separar o território da Federação Russa. A insurgência alargou-se a outras repúblicas do Cáucaso do Norte, como o Daguestão e a Inguchétia.

Em Março de 2009, o presidente russo Dmitri Medvedev disse que tinha chegado o momento de pôr fim à “operação antiterrorista” na República do Cáucaso, alegando que a vida na Chechénia regressava à normalidade.

O certo é que a insurreição na região continua activa e acabou por matar 40 pessoas em Moscovo, com um duplo atentado no metro da capital russa, em Março deste ano.