Última hora

Última hora

Chefe de Governo neozelandês pede explicações

Em leitura:

Chefe de Governo neozelandês pede explicações

Chefe de Governo neozelandês pede explicações
Tamanho do texto Aa Aa

Na Nova Zelândia, as bandeiras estão, esta quinta-feira, a meia haste.

O país tenta refazer-se do choque, um dia depois de terem sido dados como, oficialmente, mortos os 29 mineiros que estavam soterrados desde sexta-feira.

Uma nova explosão no interior da mina de carvão pôs fim à esperança de encontrar com vida os trabalhadores.

O chefe de Governo admite que a recuperação dos corpos pode demorar meses e pede explicações:

“Há questões básicas que precisam de uma resposta. O que causou a explosão, o que poderia ter sido feito para evitar que tal acontecesse e se as equipas de socorro a operar eram ou não suficientes. Acredito que sim, mas é importante esperar pelas conclusões do inquérito para saber em que condições trabalhavam os mineiros” afirma o primeiro-ministro neozelandês, John Key.

Alguns trabalhadores que se encontravam perto do local onde ocorreu a primeira explosão conseguiram escapar. Esta família, por exemplo, perdeu um elemento, dois saíram com vida.

“Perdi um filho maravilhoso. Estou feliz por Deus ter permitido que outro saísse com vida” refere o pai de um mineiro morto.

As vítimas tinham entre os 17 e os 62 anos.

Esta é já considerada a maior catástrofe mineira na Nova Zelândia no último século.