Última hora
This content is not available in your region

Presidente tunisino justifica uso da força contra manifestantes

Presidente tunisino justifica uso da força contra manifestantes
Tamanho do texto Aa Aa

Foram postas a circular na internet imagens das manifestações ocorridas domingo na Tunísia contra o desemprego.

No passado fim de semana os confrontos entre manifestantes e autoridades provocaram 14 mortos, de acordo com o governo, e pelo menos 20, segundo a oposição.

Perante as câmaras de televisão, o presidente tunisino justificou a ação das forças policiais: “Os distúrbios foram violentos, por vezes sangrentos, e causaram a morte de civis e ferimentos em membros das forças de segurança. Os distúrbios foram obra de grupos de mascarados que atacaram edifícios governamentais, durante a noite, e mesmo civis nas próprias casas, com atos terroristas que não podem ser descurados”, referiu Zine al-Abidine Ben Ali.

Segundo fontes citadas pela agência noticiosa AFP,

a violência atinge em particular as localidades de Kasserine, Thala e Regueb.

Através da sua porta-voz, a chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, apelou hoje ao respeito das liberdades fundamentais. “Apelamos à contenção no recurso à força e ao respeito pelas liberdades fundamentais. Apelamos em particular à libertação imediata de jornalistas, advogados e outras pessoas que foram detidas”, sublinhou Maja Kocijancic.

A Tunísia, que discute atualmente com a União Europeia um reforço das relações bilaterais, vive desde meados de dezembro um movimento de revolta e de agitação social contra o desemprego.