Última hora
This content is not available in your region

Davos de olhos postos no Egito

Davos de olhos postos no Egito
Tamanho do texto Aa Aa

Os acontecimentos no Egito estão a ensombrar o Fórum Económico Mundial, em Davos.

Os participantes apelam ao diálogo e ao fim da violência no país a braços com uma revolta popular.

Um desejo expresso, por exemplo, pelo primeiro-ministro japonês:
“Espero sinceramente que o governo egípcio comece a dialogar com os manifestantes o quanto antes e arranque com as reformas de modo a conquistar o apoio e o envolvimento das pessoas” afirma Naoto Kan.

A situação no Egito vai dominar o encontro dos ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia agendado para esta segunda-feira.

“Penso que é crucial colocarmos alguma pressão e, ao mesmo tempo, estarmos disponíveis para ajudar o Egito a ultrapassar esta situação” refere o chefe de governo dinamarquês, Lars Lokke Rasmussen.

Para o antigo Secretário-Geral das Nações Unidas, Kofi Annan, o desejo de mudança expresso nas ruas do Egito é um processo irreversível.