Última hora

Última hora

Obama diz Al Qaeda vai tentar novos ataques

Em leitura:

Obama diz Al Qaeda vai tentar novos ataques

Obama diz Al Qaeda vai tentar novos ataques
Tamanho do texto Aa Aa

O fim de um pesadelo, que terminou com uma vitória que demorou anos.

Os Estados Unidos conseguiram acabar com o seu maior inimigo.

A morte de Bin Laden foi confirmada ao mundo pelo presidente Barack Obama.

A preparação da operação começou em Agosto. Mas Obama deixou outros avisos:

“No último mês de Agosto, depois de anos de trabalho muito cuidadoso da nossa comunidade de informações, fui informado da possível pista de Bin Laden. Era distante e foram precisos vários meses para colocar em funcionamento essa pista.

Reuni-me várias vezes com a minha equipa de segurança nacional, enquanto procurávamos mais informação sobre a possibilidade que tínhamos encontrar Bin Laden que estava escondido dentro do Paquistão. E, finalmente, na semana passada, eu decidi que tínhamos informação suficiente para iniciar a ação e autorizei a operação para capturar Bin Laden e apresentá-lo à justiça”.

E a ordem para o início da operação partiu do próprio Obama:

“Hoje, os Estados Unidos, sob a linha direção, lançaram a operação em Abbottabad, no Paquistão.

Uma pequena equipa de americanos desencadeou a operação, com uma extraordinária coragem e capacidade. Nenhum americano foi afectado. Houve todo o cuidado para evitar baixas civis. Depois de uma troca de fogo, Osama Bin Laden foi morto e o seu corpo ficou sob a nossa custódia”.

Ficou o sentimento de que, finalmente, foi feita justiça:

“Esta noite, podermos dizer às família que aqui perderam os seus entes queridos que justiça foi feita”

Mas Barack Obama deixou alguns avisos:

“A morte de Bin Laden é o marco mais significativo dos esforços da nossa nação, para derrotar a al Qaeda. Mas a sua morte náo é o fim dos nossos esforços. Não temos dúvidas que a Al Qaida vai continuar a desencadear ataques contra nós. Devemos ficar vigilantes, tanto no nosso território, como no exterior.
Numa noite como esta, recuperámos o sentido de unidade que prevalecia em 11 de Setembro. Eu sei que passámos por tempos difícies, contudo estou hoje convencido da grandeza do nosso país e da determinação do Povo americano. A questão da segurança do nosso país não está completa mas hoje, recordamos que a América está no nosso pensamento. Isto é uma estória da nossa Historia”.