Última hora

Última hora

Ataque contra missão da ONU no sul do Líbano

Em leitura:

Ataque contra missão da ONU no sul do Líbano

Ataque contra missão da ONU no sul do Líbano
Tamanho do texto Aa Aa

Um ataque contra capacetes azuis no sul do Líbano deixou oito feridos. Seis são italianos – estando dois em estado grave – e há, também dois civis libaneses.

De acordo com as forças de segurança libanesas, uma bomba explodiu à passagem de uma patrulha italiana perto da cidade de Sidon, 40 quilómetros a sul de Beirute. A explosão atingiu o último veículo da coluna militar.

A Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FINUL) tem, atualmente, 13 mil soldados no sul do país. A Itália contribui com quase 1800 homens. Depois do ataque, o ministro italiano dos Negócios Estrangeiros, Franco Frattini, admitiu que pretende reduzir o contingente no Líbano.

A força foi criada em 1978 para controlar a fronteira entre o Líbano e Israel. A missão prolongou-se após a guerra de 2006 entre o Estado hebraico e os combatentes libaneses da milícia xiita Hezbollah.