Última hora

Última hora

Espanha recusa contaminação de colibacilos nos pepinos

Em leitura:

Espanha recusa contaminação de colibacilos nos pepinos

Espanha recusa contaminação de colibacilos nos pepinos
Tamanho do texto Aa Aa

Por causa da bactéria Escherichia coli, ninguém, na Europa, quer comprar pepinos da Andaluzia.

Um pouco por todo o continente, pararam as importações de pepinos mas também de vários outros produtos hortofrutícolas espanhóis – o que vem agravar ainda mais a crise que o país vizinho atravessa.

Na Andaluzia, os produtores estão a perder cerca de oito milhões de euros por dia, desde que a Alemanha acusou os pepinos locais de serem portadores do colibacilo. Uma acusação que Clara Aguilera, a conselheira andaluza da Agricultura recusa: “Não se pode fazer um alarme destes sem dados fiáveis e ninguém os tem: nem a Alemanha nem a União Europeia.”

A Espanha exige respostas rápidas e transparentes sobre a verdadeira proveniência do colibacilo, que já causou 16 mortes – uma mulher, na Suécia, e as restantes, na Alemanha – e contaminou mais de mil e duzentas pessoas.

Madrid quer que a Alemanha termine rapidamente as análises em curso e exige indemnizações comunitárias para os prejuízos sofridos.

Quanto às análises espanholas, não serão conhecidas antes de quarta-feira.