Última hora
This content is not available in your region

Abstenção em alta nas eleições portuguesas

Abstenção em alta nas eleições portuguesas
Tamanho do texto Aa Aa

Os portugueses votam mas não em força. A taxa de participação ao meio dia nas legislativas antecipadas era apenas de 20%, ou seja menos do em 2009.

E também ao contrário desse escrutínio, será o Partido Social Democrata de Pedro Passos Coelho a triunfar. Estima-se que haverá uma coligação com Partido Popular. Passos Coelho votou na Amadora.

O Partido socialista do primeiro-ministro cessante, José Sócrates, deverá ficar no segundo lugar. Sócrates votou em Lisboa. O chefe de governo demitiu-se do cargo depois do parlamento não ter aprovado o quarto plano de austeridade em menos de um ano.

Como não podia deixar de ser, a crise económica dominou a campanha eleitoral. Em recessão, Portugal está sobre-endividado e a taxa de desemprego é de mais de 11 %.

É nesse cenário e com um rigoroso plano de ajuda externa que o próximo governo vai assumir as rédeas do país.

Daí o Presidente da República ter destacado a importância desta eleição aos cerca de 9 milhões e meio de eleitores que decidem também a composição dos 230 assentos da Assembleia da República.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.