Última hora
This content is not available in your region

Erdogan vai precisar da oposição para reformar Carta Magna

Erdogan vai precisar da oposição para reformar Carta Magna
Tamanho do texto Aa Aa

Terceiro mandato para o primeiro-ministro turco depois de alcançar uma maioria sólida, com 50,6% dos votos mas longe da pretendidad super maioria. Tayyip Erdogan vê-se, assim, obrigado a chegar a acordo com a oposição se quiser levar adiante a reforma constitucional que o AKP considera necessária, tendo em atenção que a Constituição não sofre alterações há quase 30 anos, quando estava no poder uma ditadura militar.

Erdogan já confirmou que o novo documento vai ser baseado em princípios democráticos e pluralistas que coloquem o país mais próximo da União Europeia.

Os resultados finais dão 326 assentos ao partido do primeiro- ministro, uma reduzida maioria que para os analistas é boa para a economia e para a democracia turcas.

O Movimento Nacionalista, de extrema-direita, obteve 53 assentos e o partido curdo da Paz e da Democracia conseguiu eleger 36 deputados.

Em Istambul o dia seguinte da ida às urnas é de calma e confiança no futuro. Este eleitor diz que está contente com os resultados, pois “não havia mais nenhum lider, Erdogan é o homem do país.”

A popularidade de Erdogan deve-se principalmente, ao êxito económico do país: em 2010, a Turquia registrou o terceiro melhor crescimento do G20.

.