Última hora
This content is not available in your region

NATO admite ter bombardeado zona residencial em Trípoli

NATO admite ter bombardeado zona residencial em Trípoli
Tamanho do texto Aa Aa

A NATO reconhece que o bombardeamento de ontem à noite, em Trípoli, poderia ter atingido uma área residencial.

Num comunicado, a aliança atlântica afirma que, uma avaria poderia ter levado um míssil a falhar o seu alvo inicial, uma base militar do exército líbio.

Segundo o regime de Kaddafi, o ataque teria provocado a morte de 9 civis no bairro de Al-Arada no Leste da capital.

O ministro dos negócios estrangeiros líbio falava esta noite de “um ataque injustificado contra uma zona residencial, levado a cabo por uma organização bárbara e assassina, apoiada e financiada por governos criminosos”.

A aliança atlântica que tinha respondido a acusações similares no passado afirmando tratar-se de “pura propaganda”, está ainda a investigar a situação.

O porta-voz da NATO declarou que a organização lamenta a morte de civis e que está a fazer tudo para proteger o povo líbio. “O regime de Kaddafi poderia pôr fim a esta guerra se respeitasse as exigências da comunidade internacional”, afirmou.

A NATO tinha revelado ontem estas imagens de um alegado ataque das forças de Kaddafi em Zitlan, nos arredores de Misrata, levado a cabo a partir de uma mesquita na cidade. Uma prova de que o exército líbio estaria a movimentar-se em zonas civis para evitar os bombardeamentos aliados.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.