Última hora

Pequim liberta artista dissidente Ai Weiwei

Pequim liberta artista dissidente Ai Weiwei
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A China decidiu libertar sob caução o artista dissidente Ai Weiwei. A notícia surpreendente foi justificada pela agência oficial Xinhua com a “boa atitude” do artista, que terá “confessado os crimes” de evasão fiscal de que era acusado.

À chegada a casa, em Pequim, Ai Weiwei absteve-se de comentários e disse apenas estar contente e agradecido a todos os que o apoiaram.

O artista foi detido a três de Abril quando se preparava para embarcar num avião rumo a Hong Kong, sem que qualquer acusação formal tivesse sido tornada pública.

A detenção gerou fortes críticas, com os Estados Unidos e vários países europeus e organizações internacionais a exigirem a sua libertação imediata.

Recentemente, as autoridades tinham atribuído o cativeiro do artista a “uma evasão fiscal maciça” através da companhia cultural que administra.

Apesar de reconhecido artisticamente na China, Ai Weiwei enfrentou-se várias vezes a Pequim, criticando diretamente o poder ou defendendo causas humanitárias.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.