Última hora

Última hora

"Foi como um filme de terror que nunca tinha visto"

Em leitura:

"Foi como um filme de terror que nunca tinha visto"

"Foi como um filme de terror que nunca tinha visto"
Tamanho do texto Aa Aa

Algumas das vítimas do duplo atentado na Noruega revelaram o que viram e sentiram. Ingvild Stensrud está hospitalizada, foi baleada numa perna.

“Depois de rajadas ele começou a disparar aos poucos e à procura de movimento, à procura das pessoas que ainda estavam vivas. Eu tinha uma rapariga por cima de mim, tapava-me quase toda. Já tinha sido alvejada na perna. Deitei-me completamente, quieta, e fiquei à espera que tudo terminasse. Também o ouvi a recarregar e esse foi o pior momento da minha vida, ouvi-lo a pôr munições”, disse.

Tarjei Jensen Bech, ficou bastante magoado depois de ter caído de uma altura de 15 metros, do seu esconderijo. “Foi o inferno na ilha. Foi como um filme de terror que nunca tinha visto”, contou.

Com um grande desgosto, o pai de uma das vítimas mortais também falou para as câmaras. “Dói muito, foi o meu filho que partiu e nunca pensei que pudesse acontecer, pois falava com ele quando o tiroteio começou na ilha de Utoya. Era para lhe ligar mais tarde. A última coisa que eu entendi dele foi: pai, pai há tiroteio. Tenho que correr”, desabafou Roald Linaker.

O massacre do dia 22 de Julho ficará para sempre na memória dos noruegueses.