Última hora
This content is not available in your region

Bolsas europeias fecham no vermelho

Bolsas europeias fecham no vermelho
Tamanho do texto Aa Aa

As bolsas europeias encerraram no vermelho, receosas quanto à saúde da economia global e à crise da dívida soberana europeia. Frankfurt e Londres perderam mais de 2%. A praça portuguesa recuou cerca de 1%.

O euro ganhou terreno face ao dólar, depois de o Banco Central Europeu ter comprado obrigações portuguesas e irlandesas.

François Chaulet explica as quedas dos mercados nos últimos dias: “O que motivou esta queda foi uma mudança no estado de espírito dos investidores, que, antes, imaginavam uma retoma a ritmo sustentado do crescimento económico e agora os principais indicadores estão a mostrar que a tendência da taxa de crescimento é para reduzir”.

As bolsas de valores asiáticas sofreram fortes perdas, esta sexta-feira. Perdas entre os 2 e os 6%.

Os receios de que a economia mundial possa estar a voltar à recessão e de que a crise da dívida soberana contagie a Itália e a Espanha assustaram os investidores.

Para este ano prevê-se que a dívida italiana atinja os 129% do PIB, um valor bem mais elevado do que os 73% do país ibérico.

Os líderes europeus estão a acompanhar a evolução dos mercados financeiros e a tentar travar a crise que já levou Grécia, Irlanda e Portugal a pedirem ajuda.