Última hora

Dama de ferro ucraniana detida no meio de tumulto

Dama de ferro ucraniana detida no meio de tumulto
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As constantes atribulações, interpelações e insultos terão sido a gota de água para o juíz ucraniano que ordenou a detenção provisória de Iulia Timochenko.

Os apoiantes da antiga primeira-ministra da Ucrânia chegaram mesmo a criar um tumulto na sala de tribunal onde Timochenko prestava depoimento, ao mesmo tempo que enviava mensagens pelo Twitter. Mais de 200 polícias anti-motim foram mobilizados para acompanhar a saída de Timochenko.

A líder da oposição está a ser julgada sob a acusação de abuso de poder. No entanto, ela qualifica o processo de “farsa” montada pelo seu grande rival político, o actual presidente Victor Ianukovich, que, afirma, pretende um veredito até ao final deste mês.

Na verdade, os Estados Unidos e a União Europeia já expressaram preocupação pela suposta natureza política deste julgamento.

A dama de ferro ucraniana já esteve presa, em 2001, por motivos idênticos aos do processo em curso. Timochenko, antiga diretora de uma companhia do setor energético, é acusada de, enquanto primeira-ministra, aprovar um contrato ruinoso de abastecimento de gás russo, sem a autorização do governo, lesando Kiev em mais de 130 milhões de euros.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.