Última hora

Última hora

Tráfico humano no mundo do futebol

Em leitura:

Tráfico humano no mundo do futebol

Tráfico humano no mundo do futebol
Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de jovens futebolistas africanos, enganados por promessas de falsos agentes, chegam todos os anos a França.

A troco de somas que podem atingir os 5 mil euros prometem-lhes os grandes clubes europeus.

Abandonados à chegada, os jovens, que podem ser menores, acabam sem dinheiro, sem documentos e sem clube.

“Abandonou-me. Não tenho qualquer contacto com ele. Nem sei onde vive. É um português que me disse que conhecia pessoas em França. É por isso que viemos para França,” afirma um jovem africano, entretanto acolhido por uma associação francesa.

Várias associações tentam ir em auxílio destes jovens, vítimas de burlões. Em 5 anos esta associação recebeu 1.200 queixas.

Aqui o internacional camaronês Stéphane Akongo, gratuitamente, oferece-lhes o treino diário.

Para Akongo, a situação é de tráfico humano:

“É claro que é tráfico, e não está longe da escravatura. O tipo vai, agarra no jogador, agarra no dinheiro e, quando chegam aqui, abandona-os.”

Perto de 10 mil jovens, vítimas de falsos agentes de futebol, chegam todos os anos a França. Mas o fenómeno está em vias de explodir, já se estende ao Sudeste asiático. Japão, Singapura, Tailândia e China são os destinos prometidos.