A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

EUA: autoridades libertam Charles Graner

EUA: autoridades libertam Charles Graner
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Graner era o cabecilha de um grupo de polícias militares norte-americanos que fotografaram situações de abuso cometidas na prisão de Abu Ghraib contra prisioneiros iraquianos suspeitos de serem insurgentes.

As imagens foram reveladas em 2004 dando origem a uma vaga de contestação internacional.

Graner fazia parte de um grupo de sete militares envolvidos nas práticas de tortura.

Segundo o antigo militar, o grupo estaria a cumprir ordens superiores emitidas por funcionários dos serviços secretos.

Graner cumpriu seis anos e meio de uma pena de dez anos. A sua antiga noiva, Lynndie England, igualmente polícia militar, cumpriu uma pena de três anos.