Última hora

Última hora

Bancos franceses sob pressão

Em leitura:

Bancos franceses sob pressão

Bancos franceses sob pressão
Tamanho do texto Aa Aa

O Société Générale empurrou as ações dos bancos europeus para o nível mais baixo desde o rescaldo da crise de crédito. Na quarta-feira, caiu mais de 15%, na Bolsa de Paris. O banco pediu uma investigação para apurar a origem da especulação.

“O que originou o mergulho do Société Générale foram, simplesmente, rumores sobre o banco e o seu problema de liquidez. Foi simplesmente um rumor. Foi o suficiente para mergulhar todas as bolsas mundiais”, explicou Oliver Roth, do Close Brothers Seydler AG.

O BNP Paribas e o Crédit Agricole também sofreram fortes perdas. Esta quinta-feira, o Banco de França garantiu que a solidez dos bancos franceses não foi afetada pelos movimentos dos mercados bolsistas. O governador considera que os níveis de capital e os programas de refinanciamento a médio e longo prazo adequados.

Os bancos franceses estão bastante expostos à dívida de países como a Itália, a Espanha, a Grécia, Irlanda e Portugal. Foi esta a razão que levou um banco asiático a cortar linhas de crédito aos maiores bancos franceses e outras cinco instituições financeiras a rever as condições dos empréstimos, segundo uma notícia avançada pela agência Reuters.