A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Kiev quer rever contrato sobre fornecimento de gás com Moscovo

Kiev quer rever contrato sobre fornecimento de gás com Moscovo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O preço do gás está a dominar o encontro entre o presidente russo e o homólogo ucraniano que decorre em Sochi, estância turística do Mar Negro.

Kiev admitiu, há dias, suspender o contrato de 10 anos, assinado em 2009 com Moscovo, pela então primeira-ministra Yulia Tymoshenko, por considerar que seria ruinoso para a economia.

Viktor Yanukovich diz que a Ucrânia sempre esteve e continua a estar disponível para ultrapassar as diferenças com Moscovo e para alcançar um compromisso.

A chamada guerra do gás entre a Ucrânia e a Rússia afetou o abastecimento à Europa. Dois anos depois, a procuradoria ucraniana acusa a antiga chefe de governo de ter lesado o país em cerca de 130 milhões de euros.

Yulia Timoshenko, entretanto detida, afirma estar a ser vítima de uma farsa judicial orquestrada pelo atual chefe de Estado.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros russo já fez saber que os documentos assinados sobre o fornecimento de gás entre Moscovo e Kiev respeitam a legislações dos dois países e o Direito Internacional.