Última hora

Última hora

Damasco não desarma contra os civis

Em leitura:

Damasco não desarma contra os civis

Damasco não desarma contra os civis
Tamanho do texto Aa Aa

Os militares do regime sírio terão morto mais de uma dezena de pessoas, esta quinta-feira, no norte do país.

Os tanques do exército entraram em Quasir, próximo da fronteira com o Líbano e também em Saraqeb, junto da autoestrada que atravessa a Síria de norte a sul.

Os soldados escoltaram um grupo de jornalistas turcos nos arredores da cidade de Hama. As imagens mostram a destruição e uma calma tensa.

Um jovem acusa o regime: “Eles têm governado o país há 50 anos. Com a nossa determinação e a ajuda de Deus – e dirijo-me a al-Assad especificamente: nós vamos derrubá-lo pela força. Temos esse direito. Olhe para nós, não temos nada. Eles atacam-nos com tanques, atacam-nos a partir de aviões, com todos os meios do poder e nós não temos nada”.

A revolta começou há cinco meses e tem-se espalhado por todo o país. Apesar das sanções norte-americanas e dos apelos dos países da região, o presidente Bachar al-Assad mostra-se disposto a esmagar pela força a revolta das ruas.

De acordo com as organizações de direitos humanos, pelo menos 1700 civis morreram já nos confrontos com as forças da ordem e vários milhares estão detidos nas prisões sírias.