Última hora

Última hora

Muro de Berlim 50 anos depois

Em leitura:

Muro de Berlim 50 anos depois

Muro de Berlim 50 anos depois
Tamanho do texto Aa Aa

Há 50 anos arrancavam os trabalhos de construção do Muro de Berlim. Este sábado a Alemanha relembra o símbolo que marcou a divisão do país durante 28 anos.

As cerimónias começaram com a leitura dos nomes de 136 berlinenses que morreram a tentar atravessar o muro. Estiveram presentes a Chanceler Angela Merkel e o Presidente alemão.

O chamado “Muro da Vergonha” foi também um marco negativo para quem estava de fora.

Jörg Klein, um alemão que conseguiu escapar, quando era criança, relembra: “Não era possível os visitantes compreenderem que estávamos cercados por uma parede de betão.”

Mas se para a maioria o Muro de Berlim representa o passado negro, há quem sinta alguma nostalgia. O Presidente da Câmara de Berlim sente-se chocado com o facto de alguns berlinenses conseguirem encontrar justificações para a construção do muro, em 1961. Para ele, hoje, este deve ser o símbolo da liberdade e da democracia por todo o mundo.