A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Bento XVI tenta conter sangria na Igreja Alemã

Bento XVI tenta conter sangria na Igreja Alemã
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

No fim do primeiro dia de visita oficial à Alemanha, o Papa apelou aos alemães para que não abandonem a Igreja.

No Estádio Olímpico de Berlim, perante uma audiência de 70 mil fiéis, Bento XVI pediu os católicos para que vejam que a Igreja foi construída tanto com o bom como com o mau e que está empenhada em reparar os erros cometidos.

Há dois anos a Alemanha foi abalada pelos escândalos de abusos sexuais do clero.

Em 2010, 181 mil católicos alemães, um número recorde na história do país, deixou oficialmente a Igreja.

Horas mais cedo, o Papa num discurso filosófico, no parlamento alemão, dissertou sobre as bases do direito e lembrando a Bíblia e o rei Salomão afirmou que se o legislador concedesse um desejo, não poderíamos desejar mais que “um coração que oiça, que tenha a capacidade de distinguir o bem do mal e que coloque o verdadeiro direito ao serviço da justiça e da paz.”

O Papa conseguiu surpreender o Bundestag brincando com os parlamentares ao afirmar que não estava a fazer propaganda a qualquer partido político, depois de considerar indiscutível a importância da ecologia.

Milhares de pessoas manifestaram-se, em Berlim, em protesto contra a visita papal e condenando a doutrina do Vaticano em relação a condutas sexuais.

A visita do Sumo Pontífice à Alemanha prosseguirá até domingo. Na sexta-feira, em Erfurt, pátria da reforma luterana, o Papa reúne com os representantes da igreja protestante Passará ainda por Friburgo, sede da conferência episcopal alemã.