Última hora
This content is not available in your region

Irão chora vítimas da explosão na base militar

Irão chora vítimas da explosão na base militar
Tamanho do texto Aa Aa

O Irão prestou, esta segunda-feira, homenagem ao brigadeiro Hassan Moqaddam – arquiteto do programa de mísseis de defesa – e aos 16 Guardas da Revolução, mortos na explosão do depósito de armamamento.

Apesar de as autoridades iranianas falarem de acidente e descartarem qualquer hipótese de sabotagem, muito se tem especulado desde sábado sobre a eventualidade de a Mossad, os serviços secretos de Israel, estarem por detrás do incidente. A revista Time e os principais jornais israelitas semeiam a dúvida.

O incidente ocorre poucos dias depois de a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) ter divulgado um relatório onde são apresentadas provas de que Teerão trabalhou no sentido de fabricar armas nucleares.

O ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, William Hague, que se encontra em Viena para a reunião da AIEA, afirmou que o relatório confirma que existe um programa de armas nucleares e que as atividades iranianas não são conciliáveis com o desenvolvimento de um programa nuclear simplesmente para fins civis. Hague acentuou que a comunidade internacional “não pede uma ação militar, mas todas as opções estão em cima da mesa”.

A União Europeia e os Estados Unidos decretaram novas sanções contra o Irão. Muitos governos ocidentais gostariam de ver aprovadas mais sanções pelo Conselho de Segurança da ONU, mas contam com a oposição da China e da Rússia.